Sargento é morto, outro SGT e Cabo são baleados e aluno da Pm é Ameaçado


Medo. Essa é a sensação de todos os sergipanos e que começa a fazer parte das vidas dos policiais militares de Sergipe, que em número reduzido, sem perspectivas de novos concursos, tem dificuldades para realizar o policiamento preventivo. Por conta disso, eles começam a ser vitimas dos marginais.

 A onda de violência tomou conta do estado e está deixando a população assustada e criando uma grande preocupação para as autoridades que não estão conseguindo frear a violência. Em menos 24 horas, três policiais militares são baleados, um aluno da PM ameaçado e um deles, um sargento reformado, foi alvejado, não resistiu aos ferimentos  e morreu.

 Os dois primeiros casos ocorreram na tarde e noite de quinta quinta-feira  (04), quando o sargento reformado Filomeno dos Santos, morreu após ser atingido por tiros disparados por dois homens durante tentativa de assalto à sua mercearia, localizada no bairro Lamarão.

Em Itabaiana um outro sargento também foi baleado ao tentar impedir um assalto. O sargento trocou tiros com os marginais e acabou sendo ferido na perna. Ele foi socorrido e encaminhado ao hospital onde foi medicado e não corre risco de morte. O sargento Edimilson Santos foi baleado no joelho ao tentar evitar assalto em um bar localizado na Avenida Engenheiro Carlos Reis.

 No inicio da noite desta sexta-feira (05), a outra vitima foi um aluno de soldado da policia militar. As informações são de que dois elementos em uma motoneta shineray se aproximaram do aluno que não teve seu nome divulgado e efetuaram dois diaparos.

 O aluno foi cercado pelos dois elementos na rua São Francisco, no bairro Santos Dumont. Ao notar a presença dos dois marginais e os disparos, o aluno PM correu e parou na praça em frente ao Bar do Pirão, localizado na rua Roberto Morais para solicitar apoio policial. Por sorte o aluno não foi alvejado e também não teve seu nome divulgado.

 Até o fechamento desta matéria, não houve informações se os marginais foram localizados e presos.
 Crise na segurança – enquanto isso, e enquanto a população está sendo dizimada por marginais e policiais militares estão sendo executados, o governador Jackson Barreto se licenciou do mandato, saiu de férias e nomeou  ex-secretário de Estado do Esporte e Lazer, Maurício Pimentel, para a Casa Civil, no lugar do vice-governador Belivaldo Chagas que assumiu o governo interinamente.

 Exoneração – Se para convidar o ex-deputado federal Mendonça Prado para assumir a Secretaria de Segurança Pública, o governador Jackson Barreto o convidou pessoalmente, para exonerá-lo, a situação foi diferente. Na quarta-feira (03), o governador Jackson Barreto resolveu exonerar Mendonça Prado durante uma entrevista que concedeu aos jornalistas no sertão sergipano.

 Durante a entrevista o  governador afirmou que já tem um nome para a secretária de segurança mas que será anunciado após o carnaval. Sobre a possível troca do comandante da policia militar, Jackson se manteve reservado, afirmando que “isso será o novo secretário que irá escolher”, o que ele não fez com Mendonça Prado e que terminou em “saia justa” entre o comando da PM e da SSP.

Sobre a suposta crise entre Mendonça e Iunes, Jackson afirmou que “essa foi uma crise de vaidade”. O governador só não disse se seria crise de vaidade de Mendonça ou do coronel Iunes.

Fonte: Munir Darrage / Portal Tobiense